Toda a verdade sobre a OLX

Estava eu num momento de descontracção a ver um filme, quando numa cena de grande tensão a imagem muda repentinamente…Anúncios. Já com o comando na mão para mudar de canal, aparece um daqueles anúncios da OLX Portugal que nos deixa com a frase “vende já!” no pensamento durante largos minutos.

Nada fora do comum, mas deixou-me a pensar na origem da OLX – exactamente o mesmo processo que me fez descobrir que a Samsung surgiu como uma empresa de comércio de mantimentos na Coreia do Sul. Adiante…

Depois de uma breve pesquisa (que me fez perder o início da 5ª parte do filme…!) fiquei a saber um pouco mais sobre este site gratuito de classificados fundado em 2006. Há cerca de 6 anos os seus fundadores tinham um objectivo bastante ambicioso: marcar presença em cerca de 60 países, ultrapassando diversas barreiras técnicas e linguísticas.

Mas como é que a OLX passou deste ambicioso objectivo para a presença em mais de 96 países em 40 línguas que tem hoje? Aqui entra a agência de marketing Keyade.

A Keyade decidiu criar uma equipa internacional interna, sedeada em Paris, com gestores de conta nativos dos principais países onde iriam operar. Assim, dominaram de imediato 7 línguas: o inglês, espanhol, italiano, francês, alemão, russo e chinês. Constituíram também uma equipa de freelancers especializados na criação de campanhas de search marketing, para as línguas secundárias.

Resultado: o maior site de anúncios classificados gratuitos em Portugal e no mundo.

Mas o que tem isto a ver com o que normalmente nos interessa mais neste blog, que é o B2B – a especialidade da Hamlet?

Além de haver empresas a recrutar e a comunicar os seus serviços neste suporte, a sua principal fonte de rendimentos são os anúncios pagos por empresas e profissionais.

Ao mesmo tempo que fornece um serviço directo de compra e venda online, uma grande feira de fácil acesso, o OLX é também uma montra para empresas e profissionais que através de anúncios pagos usufruem da grande visibilidade alcançada nos últimos anos.

B2C, B2B…ou B2B…2C? O que lhe parece?

Rui Lourenço
Botão_newsletter_2