Ensinar pelo mau exemplo

O Instituto Politécnico de Beja decidiu fazer algo diferente na sua comunicação institucional, pegou em quase 1900 figurantes e criou uma nova apresentação para si próprio. O resultado é bem-intencionado, mas falha em diversos níveis.

O vídeo, não sendo um trabalho profissional, é longo e não aproveita a atenção eventualmente conquistada nos primeiros segundos para responder ás questões de quem tem o difícil problema de escolher um curso superior. São 14 longos minutos que dão a conhecer as instalações, algumas actividades do Instituto e pouco mais.

Nos tempos que correm, não faria mais sentido apostar numa comunicação voltada para angariar alunos, de preferência com informações e argumentos relevantes que ajudassem a tomada de decisão?

Como acontece um pouco por todo o lado, as instituições de ensino enfrentam dificuldades para conseguir inscrições nos seus cursos: o valor das propinas é alto, com o mercado de trabalho como está o investimento dos alunos é de alto risco, a concorrência enorme e a comunicação dos benefícios não é feita da melhor forma, ou de todo.

Pode parecer um cenário depressivo. Mas para quem apostar numa comunicação realmente diferente – e relevante, o que não foi o caso aqui – é uma oportunidade para agarrar.

Rui Lourenço
Botão_newsletter_2